jusbrasil.com.br
14 de Novembro de 2018

Coaching a distância para concursos.

"Vida de concurseiro".

Diego Pereira Machado, Tabelião de Notas
Publicado por Diego Pereira Machado
há 3 anos

- Devo estudar fazendo rascunho ou anotações? Estudo deitado, em pé, sentado, gesticulando, gritando ou em silêncio?

Para que essas dúvidas que assolam a grande maioria dos candidatos sejam resolvidas, é importante que saibamos qual o sentido predominante na nossa mente, ou seja, como neurologicamente processamos as informações.

Todo ser humano enxerga o mundo por meio dos cinco sentidos universalmente conhecidos, a saber: tato, paladar, visão, audição e olfato. Todavia, as predominâncias variam de pessoa a pessoa, motivo pelo qual a PNL (Programação Neurolinguistica) dividiu as predominâncias perceptivas em três, correspondendo, cada uma, a um tipo de indivíduo quanto à percepção. São elas:

· Visual: presta mais atenção nas formas, nas cores, nas imagens, possuindo uma observação mais aguçada que as demais.

· Auditiva: sensitiva aos sons, às palavras, aos fenômenos acústicos em geral;

· Sinestésica: presta mais atenção nas sensações corporais, nos movimentos das coisas, na percepção dos fenômenos físicos.

Sendo assim, é de suma importância para o candidato descobrir em qual das hipóteses se enquadra, para que aprenda a explorar com maior eficiência sua percepção predominante, facilitando o seu estudo.

Para tanto, sugiro um teste bastante simples (siga à risca as etapas para que o teste seja fiel):

1. Escolha três capítulos de mesma extensão de um livro de literatura qualquer que ainda não tenha lido;

2. Leia em voz baixa o primeiro; quinze minutos após tente reproduzi-lo em uma folha em branco;

3. Peça a um ajudante (mãe, pai, irmão, namorado (a) etc.) para lhe fazer a leitura do segundo capítulo em voz alta (apenas uma vez, sem repetir); quinze minutos após tente reproduzi-lo em uma folha em branco;

4. Por fim, peça àquele mesmo ajudante que leia em voz baixa o terceiro capítulo e tente explicá-lo a você, com mais encenações do que palavras; quinze minutos após tente reproduzi-lo em uma folha em branco;

5. Interprete os resultados em conjunto com os textos lidos, e veja qual reprodução mais se aproxima do texto original, no seguinte sentido:

Caso tenha chegado à conclusão de que a primeira reprodução tenha sido a mais fiel, seu sentido predominante é o visual; assim, não tenha dúvidas que deverá estudar fazendo rascunhos, anotações, grifos coloridos, setas, esquemas, dentre outros, para que tenha maior facilidade na memorização.

Verificando ser auditivo, caso a sua segunda reprodução tenha sido mais próxima do respectivo texto original, recomenda-se que leia o caderno em voz alta, que grave a matéria, que ouça legislações em áudio, deixando de lado a preocupação com rascunhos e esquemas.

Por derradeiro, chegada à conclusão de que é sinestésico, com a verificação de que a terceira reprodução tenha sido a mais fiel, há que se estudar fazendo gestos, visualizando materialmente os fatos, pensando nos exemplos concretos e assistindo muitas aulas.

Note: é bastante comum pessoas que possuem predominância de dois ou mesmo dos três sentidos conjuntamente; verificando se enquadrar nessa hipótese, conjugue os métodos de memorização, alternando-os na medida de sua disposição.

Concluindo, afirma-se que esse singelo teste não possui cunho eminentemente científico, nem mesmo categórico para a vida do candidato, no entanto, é um meio muito eficaz de se aprender a estudar, maximizando a memorização.

- Falando em memorização, como faço? Ler É a mesma coisa que decorar?

Esse é um tema que merece a maior atenção, haja vista a diferença que existe entre ler e memorizar.

O estudo, para aquele que se propõe a prestar concurso público, pode ser comparado à rotina de treinos dos atletas profissionais.

Estes não têm como meta jogar futebol, correr ou nadar como esportistas amadores. Se assim fizessem, certamente não conseguiriam atingir o ápice de sua carreira profissional.

Em perfeita analogia, o concurseiro que se propõe a estudar como um amador, certamente não passará em concurso algum.

Por isso a importância da leitura deste livro, pois o mesmo lhe trará o segredo para atingir rapidamente seu objetivo, com a técnica dos profissionais, e não dos amadores.

O concurseiro deve, assim como os esportistas profissionais, treinar diariamente e seguir uma rotina pré-estipulada, não podendo, em momento algum, afastar-se do ideal a ser alcançado.

A melhor técnica para memorização depende de sucessivas repetições, as quais proporcionarão o acúmulo de conhecimento.

Dessa maneira, o estudo deve ser realizado com a maior atenção possível, buscando formar esquemas mentais de absorção da matéria. Isso se faz por meio de analogias com temas similares, recursos mnemônicos, ou qualquer outra técnica apta a acrescentar e concentrar conhecimento, a depender do sentido predominante.

Melhor explicando: o estudo é uma arte cumulativa, pela qual a persistência e disciplina levam à formação de uma base sólida, uma bagagem suficiente para, no momento certo, auxiliar o candidato na realização do seu sonho.

Do livro "Vida de concurseiro", editora GZ.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)